Numerologia dos gatos


Além da Numerologia, tenho uma vida digamos que paralela ahahah tenho 4* felinos que tanto me dão conta da cabeça, mas lá no fundo são uns amores. São os 4 patudos cá de casa!! Também existe um cão… Portanto, feitas bem as contas são 5 patudos. 5 o número da mudança e de facto estes pequenos patudos e o cão mudaram por completo a minha vida!!
Pieguices à parte…

Há uns dias, desafiada por uma amiga, mais por brincadeira que por outra coisa, ela disse-me “se fazes Numerologia, já alguma vez fizeste aos teus gatos?”

Pois, a verdade é que não ligo muito à questão de Numerologia para a vida animal, ainda que a titulo de brincadeira, lá tenha ido fazer as contas, afinal de contas, mal, não lhes fazia nenhum!!

A Yivy que é um doce de gata – como de resto já tinha falado, algures aqui no Ser Mulher – Quando fui fazer as continhas à menina, lá meu deu um 9… e realmente lá estava a minha menina bastante bem retratada! 9 o número do amor incondicional, da generosidade do dar sem receber! A minha riqueza!! Por incrível que pareça, ou não, ela é bastante ligada a mim, não passa um sequer dia sem me vir dar uma ou duas, lambidelas em jeito de miminho.
 
Yivy
O Alvim – nome dado pela criança cá de casa – é o mais destrambelhado e autónomo dos 4. O rapaz é um bocadinho como a dona; quando não tem que fazer inventa. Parar quieto é que não é com ele. Pois bem, feitas as contas o 3 dele representa de facto, muito bem aquilo que ele é. Adora ter atenção, e quando não tem grita – sim ele grita – o Alvim adora movimento e é bastante autónomo, não gosta de mimos, apesar de gostar de companhia e atenção.
 
Alvim

O Buda – Nunca percebi muito bem o Buda – ele é independente, mas ao mesmo tempo pacato, é calmo, mas não gosta de mimo. O 1 dele explica precisamente essa pouca necessidade de mimo. Mas por outro lado cria uma certa dependência, nomeadamente, de comidinha. Diria que este tem o pecado da gula. É um amor de gato, levanta-se de um lado, para se ir deitar noutro logo a seguir – nada a ver comigo – mas é um gato super meigo, atento e protetor. Está sempre a defender os outros quando estes se metem em guerras.
 
Buda
O Woody – outro que também nunca percebi muito bem, e depois de fazer as contas pior ahahha – o Woody é meigo e adapta-se bem às mudanças, tanto que veio cá para casa de pequenino e não foi muito complicada a adaptação, nem à casa, nem aos outros gatos, mas havia alguma coisa nele que não me estava a encaixar bem na cabeça. O 1 dele não me estava a bater certo com a necessidade de cuidar que este gato tem. Depois lembrei-me que tenho por vezes (muitas vezes) a mania de lhe chamar Woody Godofredo – por nada demais, coisas de uma mente criativa - Pois, estava aí o meu problema com o gato, ambos os nomes somados resultavam pois, naquilo que ele é mesmo, num 9, tal como a minha Yivy.
 
Woody
Não. Os gatos não se dão nada bem com o cão, pelo contrário, dão-se muito mal. O cão acha que tem ali um belo petisco, os gatos por sua vez sentem nele um assassino em série que vai acabar com eles à dentada. Yivy foge dele rasteirinho, mas rápido. Buda sobe postes, paredes e de volta e meia até consegue voar, é só ver o cão. O Alvim, como quase nunca cá está, porque acha que assim o tem que ser, nunca o vê. O Woody olha para ele, de lado, como quem diz “lá vem aquele mete-nojo outra vez”…

** os gatos nunca se misturam com o cão por minha vontade, já que os coloco sempre em parte segura, apesar de os mesmos de vez em quando sentirem que necessitam de adrenalina nas suas vidas e põem-se onde não devem… depois choram.. ou miam… bufam e rosnam…

*Entretanto, a uma bela sexta-feira 13 nasceram mais dois patudinhos (sim queria mesmo ter mais).

Aqui por casa foram chamados desde logo por Patinhas e Ventoinha.

Sim, cá por casa a criatividade para nomes é a lástima que se vê, mas, adiante…

Patinhas um fofo, porém um mimalho, só quer mimo, e colo e festas e tudo o que seja calor humano. É normalmente mais calmo, mas o seu 16/7 dá-lhe um quê de especial ao seu ar de lambão, e o ego quando lhe soube aos bigodes digamos que não é nada bonito de ser ver…

De resto, é um amor de gato… mas só quando entende... Se entende que deve fugir, pois é óbvio que se vai pôr a milhas de nós. Se entende que quer mimo, sobre tipo flecha para os nossos quartos e deita-se em tudo o que é sofás e camas.
 
Ventoinha
Já o Ventoinha, é um redemoinho só… nunca vi tal em gatos meus… apesar de ser um 9, é um bicho que de apegado não tem nada de nada, aliás, assim que nos vê, é o primeiro… a dar à sola… olha para nós de lado e tudo…
Tirar fotografias a estes dois mais novos é uma aventura... uma tragédia em 3 actos… já tentei, mas eles sonham que os vou expor e… tchau dona “ a isso eu não brinco” … e pronto fico eu de máquina na mão…

São o tipo de animais que podem andar à minha volta super descontraídos, mas, se por alguma eventualidade sonham que eu lhes quero pegar, lá fogem... é assim… 9 – desapego. 7 – mais para o independente!!

Se eu podia ter animais ditos normais, poder podia, mas não era tão feliz.

Sandra

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela tua dúvida, sugestão ou opinião.
Respondo sempre por baixo do teu comentário.