Poupar € com os animais de estimação

Ter um animal de estimação é a melhor coisa do mundo! Todas as boas pessoas que têm um, sabem disso.
Se és daquelas pessoas que não sabe que o amor de um animal de estimação compensa todo o trabalho e gasto, se és daqueles que abandonas e mal tratas, então abandona imediatamente este blog!
Fonte

Mas como eu estava a escrever, é a melhor coisa do mundo mas vem com trabalho e despesas.
Hoje vou partilhar a minha experiência dando dicas para poupar dinheiro com os animais de estimação.

Primeiro de tudo, se queres uma companhia, um animal, tens de pensar bem se é decisão certa. Tens de pensar se preferes dar dinheiro a um criador de uma raça "pura" que mantém a mãe em mínimas condições e cujo o único fim é procriar (ou mesmo um criador que trate bem dos seus animais), se preferes pagar para uma loja e incentivares as criações ou se preferes adotar e salvar literalmente uma vida. Há tantos animais nos canis, nas ruas, à espera de amor que comprar não faz sentido nenhum!

Adota
Ao adotares, obviamente que te sai mais barato do que comprar na loja ou criador. Pagas o mínimo que a associação te pode fazer tendo em conta algumas despesas. Até há associações que têm acordos e parcerias com clínicas/hospitais veterinários e tu recebes descontos na castração/esterilização (que em alguns sítios é obrigatória no momento de adoção), nas consultas, nos produtos e etc.


Esteriliza
Ao esterilizares estás a prevenir doenças (que para detetares e tratares, terias de gastar mais €) como cancros, infeções, etc, além de prevenir e controlar comportamentos (agressividade, marcação de território, por aí) e o mais importante, controlas a natalidade. Menos animais nascidos por irresponsabilidade, menos abandonos, menos animais de rua!
Não penses que só as fêmeas devem ser esterilizadas. Os machos devem ser castrados porque são precisos macho e fêmea para procriar. Nunca se sabe se o teu cão foge e deixa prenha uma cadela de rua ou mesmo com dono...
Fonte
Vacina
Vacina o teu animal com as vacinas obrigatórias e se puderes, todas as que existirem. No inicio, pode ser uma quantia elevada mas vai prevenir que gastes imenso a tentar curar o teu animal numa coisa que tu podias ter evitado.
Dou um exemplo que conheço de um cão não vacinado contra a parvovirose que apanhou, tentámos salvar e gastamos 200€ ou mais no tratamento. Nenhuma vacina é cara assim. Além de que poderíamos ter poupado o sofrimento dele e nosso.

Protege
Protege o teu animal contra pulgas, carraças e outros parasitas. Alguns deles já estão abrangidos pelas vacinas mas os externos não. Escolhe com o teu veterinário o método mais eficaz para o teu cão/gato. Nem sempre a coleira é a melhor opção, nem sempre resulta, nem sempre o cão aceita. Tens outras opções a explorar. O que importa é que sejam eficazes para prevenir doenças e infestações que se não prevenires, tens de tratar e acabas por ainda gastar mais dinheiro. Além disso, não te esqueças que tu também podes sair doente.

Alimentação
Alimenta o teu animal seguindo as indicações do veterinário relativas ao tipo de alimentação, marca e muito importante: quantidade.
Alimenta apenas as vezes e a quantidade que são indicadas pelo veterinário ou pela marca.
Escolhe uma boa ração em conjunto com o teu veterinário que suprima as necessidades do teu animal. Uma má ração traz doenças sim!

Caminhadas/passeios e brincadeiras
Estás a estimulá-lo física e mentalmente e a melhorar obviamente a saúde dele (evitar obesidade, stress e outras doenças), a tua também e estás a melhorar o vosso laço. 
Estimula-o com brinquedos e brincadeiras novas com alguma regularidade.
Se não tens tempo para os passeios, que além de benefícios físicos e mentais trazem o famoso xixi e coco para fora de casa, podes contratar um petwalker.


Descontos e promoções
Aproveita as parcerias das associações animais com veterinários e e lojas para a alimentação, vacinação, desparasitação, material. Frequenta o veterinário que tem parceria com a associação onde adotaste o teu animal. Aproveita ainda as parcerias e vantagens por seres sócio de alguma associação.

Aproveita as promoções que vêm nos folhetos dos hipermercados. Está atento a lojas online de produtos animais. Mas:
- faz a conta ao kilo de ração e ver se fica mais barato um saco grande ou pequeno
- faz a conta à duração dos meses da pipeta (vê se te compensa comprares individual ou em packs) vs coleira vs outra coisa
- tem atenção aos portes grátis para compras a cima de (...) ou com código de desconto
- tem atenção às validades
- está atento às promoções sazonais e feiras animais

Material de qualidade
Vê se alguém que conheces que teve ou tem um animal, tem material que não use e te possa dar como camas, mantas e brinquedos. Lava sempre tudo antes para impedir que possíveis doenças possam ser transmitidas.

Também podes criar alguns brinquedos mas avalia sempre os materiais com que constróis. Além de serem resistentes não podem ser perigosos ao nível dos componentes químicos nem fisicamente (cantos, parafusos descobertos, entre outros).

Se tiveres que comprar, compra material resistente, forte, de qualidade, sem componentes e constituintes perigosos para o teu animal.
Se tens um cão grande, ele tem mais força e precisa de um peitoral resistente. Se comprares logo o certo, estás a poupar! Há casos em que não vale a pena tentar usar o peitoral que o outro cão usou... 
Escolher bem o modelo, tendo em conta as características e anatomia do teu animal é muito importante por isso, não tenhas vergonha de pedir ajuda.
O uso de coleiras é prejudicial porque pode causar várias lesões por isso, podes pôr coleira com identificação ao teu animal mas evita prender lá a trela. Um peitoral é mais adequado para passear.

Banho e tosquia em casa
Se o animal aceitar bem ser tosquiado, compensa-te mais comprar uma máquina para tosquiá-lo e dar-lhe banho em casa. Mas atenção, não o magoes. Se não és capaz, mais vale não o aleijares nem stressares.
Fonte

Protege a tua casa, para impedires que te façam mal ao teu animal, quer para impedir que ele fuja e ainda que estrague algo de valor. Tudo isto pode trazer despesas extras caso não seja prevenido: um envenenamento, uma fuga com atropelamento, e os bens estragados.

Coloca sempre microchip no teu animal (o veterinário também vai saber qual o tipo/tamanho de chip melhor) e regista na tua junta de freguesia. É obrigatório por lei e previne muitos acidentes. Ajuda-te a voltar a te reencontrares com o teu amigo, caso ele se perca e alguém o leve a ler o chip. Se o teu animal fizer algum estrago a bens ou pessoas, tem de estar registado para não pagares multas elevadas. A identificação do dono, morado ou contacto também é obrigatória (explico mais no tópico "Cumpre as leis").

Se o teu animal for um destruidor, arranja um seguro animal. Se te proteges a ti, à tua casa e ao teu carro, porque é que deixas o animal de fora? É uma forma de poupares em várias situações que possam acontecer por exemplo, se o teu animal entrar numa briga, se atacar alguém, se destruir a cerca do vizinho, se ficar doente repentinamente.

Cumpre as leis
De certeza que não queres apanhar uma multa por maltrato (já te expulsei daqui se for o caso), por ser um cão de raça potencialmente perigosa e não tiveres treino ou não colocares o açaime no teu cão...
Não te esqueças do microchip e do registo.
Também é obrigatório por lei "É obrigatório o uso por todos os cães e gatos que circulem na via ou lugar públicos de coleira ou peitoral, no qual deve estar colocada, por qualquer forma, o nome e morada ou telefone do detentor" - cfr. art.º 7.º, n.º 1, do Decreto-Lei n.º 314/2003, de 17 de Dezembro
A melhor maneira de o fazeres é através de uma medalha de identificação visível (faz a tua própria - Tutorial: medalha de identificação para cão com papel EVA.

Põe as despesas no IRS
Já podes deduzir alguns gastos veterinários no IRS abatendo 15% do IVA das faturas nestas despesas:

  • Atividades veterinárias com e sem internamento de animais de criação e companhia;
  • Cuidados médico-veterinários prestados em hospitais, centros de atendimento médico-veterinário, clínicas canis, explorações agrícolas ou em outros locais;
  • Tratamento médico-veterinário (cirúrgicos, dentários, etc,);
  • Atividades de diagnóstico (clínico, laboratorial, patológico e outro);
  • Transporte de animais doentes.
    Fonte
Agora um à parte que não é bem poupança, depende do caso.
Se tu amas o teu animal e te preocupes com ele mas vês que não está bem de saúde, contrata um petwalker ou um dogsitting. São pessoas que passeiam e cuidam dos animais dos outros. Escolhe alguém de confiança, que tenha conhecimentos e que saibas que aquele dinheiro que estás a dar traz benefícios para o teu cão na companhia daquela pessoa.
Fonte

O mesmo se aplica quando vais de férias. Abandono está fora de questão. Podes pedir aos teus familiares ou amigos que cuidem do teu animal, poupando alguns trocos. Faz uma lista dos hábitos, rotinas, doses de alimentação, cuidados a ter para dares a essas pessoas e deixa sempre o teu contacto e um contacto de emergência para o veterinário (24 horas). Essa pessoa, apesar de ser teu familiar ou amigo tem de ter algumas competências e algum laço e contacto com o animal.

Caso seja impossível deixares com a tua família/amigos, visita várias instalações de hotéis para animais, verifica as condições, o número de horas de passam nas boxes, onde dormem, quando passeiam, quando brincam, quando interagem, quando comem... Escolhe um lugar de confiança, onde tu dês indicações sobre como tratar o teu cão (há algumas coisas que só o dono sabe) e eles sigam. Escolhe sítios que já tenhas ouvido falar bem, que já tenham sido recomendados por pessoas que conheces. Tem a certeza de que o dinheiro que tu gastas faça com que o teu animal seja bem tratado em todos os sentidos e que sinta a tua ausência o mínimo possível.
Se gastares dinheiro num hotel rascas, vais ser o quanto perdeste e todos os prejuízos em vários sentidos que podes ter.

Resumindo, para poupares:

  • adota
  • esteriliza
  • vacina
  • protege de parasitas
  • alimenta com qualidade
  • faz exercícios, caminhadas, passeios e brincadeiras
  • usa os descontos, promoções e parcerias
  • compra material resistente e de qualidade
  • dá/empresta e usufrui de produtos emprestados de outros animais que não precisem (o cão da vizinha que já morreu, etc...)
  • coloca microchip, regista e compra uma medalha de identificação (ou faz a tua própria - Tutorial: medalha de identificação para cão com papel EVA)
  • protege a tua casa e bens materiais
  • adere a um seguro animal
  • cumpre as leis

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela tua dúvida, sugestão ou opinião.
Respondo sempre por baixo do teu comentário.