Prometo Voltar - Jorge Ribas

Há livros e livros. Há romances e romances. De certo, este foi dos romances mais diferentes que já li e, gostei!
Não estava à espera de soltar risos e deixar fugir lágrimas ao ler este livro tão sincero e verdadeiro.

Prometo


"Entre uma pequena aldeia da Beira Alta e uma outra  escondida  entre os Alpes Suíços, viveram-se histórias comuns e naturalmente retalhos de vida muito profundos que só a Serra de Montemuro e o Monte Cervino (Matterhorn) tiveram o privilégio de compartilhar, numa cumplicidade de segredos que só estas imponentes montanhas conheceram.
João, um de tantos jovens que não partiam por opção, mas por obrigação, levou consigo um amor que o marcaria para toda a vida. A promessa e a esperança de voltar, foram a força, para resgatar a vida que lhe tentaram roubar."

O livro retrata a história de João, um jovem serrano que vive um grande amor de infância (Rosita). Na esperança de lhe proporcionar um melhor estatuto social e económico, vê-se na obrigação de partir para a Suiça. Lá, casa e tem dois filhos com outra mulher.
É feliz e cumpre os seus sonhos, ou quase. O seu maior sonho e desejo, o de voltar a Portugal definitivamente, é concretizado nos capítulos finais. Coincidência ou não, do destino, quando volta ao seu lugar preferido em montanhas portuguesas, encontra o seu amor de infância. 

Prometo





O escritor, Jorge Ribas ele próprio emigrante, retrata na pele o que todos estes cidadãos deixam ficar marcado no coração e na alma das memórias: as veias portuguesas, a saudade dos familiares e amigos e até do próprio sol. No caso de João, a saudade de outros tempos que jamais podem ser recuperados.

Adorei este livro pela escrita leve, verdadeira, cheia de significado e conhecimento de Jorge Ribas. Faz-nos apaixonar também pelo amor de infância de João pela maneira como a descreve.

Confesso que a parte que menos gostei foi a partida para a Suiça e aí chorei ao ler a mágoa. Claro que eu torci pela tão apaixonada Rosita e adorei o desfecho do livro.
Prometo
É um livro que cativa, pela naturalidade da escrita e do desenrolar do romance. Se bem que, na minha opinião, há passagens e capítulos que decorrem muito rapidamente, anos entre meias dúzia de linhas. Especialmente na Suiça. Mas também, não senti que faltavam "pedaços de história".

Em Portugal, todas as serras, caminhos e aventuras são extremamente bem descritos.
Adoro a caracterização das montanhas, dos cheiros, dos animais. Descreve exatamente o que é nosso, português! E também isso me fez apaixonar!
Nunca, até agora, emigrei para outro país mas a maneira como as nacionalidades são vistas, na Suiça e referente a Itália também, tenho a certeza que muitos emigrantes se encaixariam no papel de João. É intenso!

É-me, para mim, complicado descrever a essência que achei tão bonita neste livro.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não te esqueças de CARREGAR no botão "NOTIFICAR-ME" para saberes sempre quando te respondo!

Respondo aqui mesmo, debaixo do teu comentário.
Obrigada :D