Como me tornar vegetariano

Não quero focar-me nas vantagens ou não de ser vegetariano nem quero ir pelo direito que os animais têm à vida. Quem deve estar a procurar por esta publicação, já deve ter tomado a sua opção e quer saber como o fazer da maneira mais saudável. No entanto, vou fazer uma pequena introdução aos tipos de "vegetariano" e depois focar-me em como mudar mais aplicado aos casos de OLV mas que também se aplica aos outros.

Um vegetariano é, por definição, uma pessoa que se alimenta de cereais, vegetais, leguminosas, sementes e fruta. Contudo, como explica Ana Serôdio, «existem os semi-vegetarianos, que comem esporadicamente peixe ou marisco, os ovo-lacto-vegetarianos, que incluem ovos, leite e derivados na dieta, os lacto-vegetarianos que mantêm os lacticínios e ainda os ovo-vegetarianos, que não deixam de consumir ovos».


Já os vegetarianos evitam tudo o que tenha origem animal, «seja carne, peixe, ovos, leite (e derivados), mel ou gelatinas». Existem, ainda, os veganos que encaram esta opção como um modo de vida e recusam qualquer exploração animal, não só «a nível do vestuário, como de entretenimento (circo e touradas) e produtos testados em animais», exemplifica. - SAPO


PRIMEIRO PASSO:



  • manter os derivados do leite: iogurte, queijos brancos etc. - mas não diariamente por causa do colesterol
  • usar moderadamente os ovos –  preferência ao ovo cozido - duas a três vezes por semana
  • fazer exercícios físicos no mínimo três vezes por semana
  • evitar fritos, cremes e os doces; não usar os industrializados
  • comer escassamente as pizzas, salgados e etc.

SEGUNDO PASSO:

A transição para se deixar a carne:
  • deixar primeiro a carne vermelha: carne de vaca - imediatamente
  • deixar depois a carne branca: carne de aves - depois de 3 meses
  • por último a carne dos peixes - depois de 6 meses
Nota: aumentar os intervalos sem comer qualquer tipo de carne durante as semanas (3 vezes, 2 vezes, 1 vez por semana).


TERCEIRO PASSO:

O uso de proteínas animais:
  • ingerir proteínas uma vez ao dia basta (adultos) 
  • usar proteínas na refeição da manhã – leite, iogurte, queijo branco
  • abusar das proteínas dos grãos integrais – farinha de trigo, aveia etc.
  • ao almoço dar preferência aos grãos integrais – arroz integral, soja etc
  • adolescentes podem usar uma fonte de proteína no almoço também. 
  • à noite faça lanches e não use proteínas ou gorduras.

QUARTO PASSO:

A substituição nutricional da carne:
  • + Proteínas – ovos, leite e o queijo branco fresco.
  • + Vitaminas – legumes crus, verduras e frutas em abundância . 
  • + Sais minerais – grãos integrais.
  • + Ferro – panelas de ferro, feijões, lentilha, ervilha, grão de bico etc. 


QUINTO PASSO:

O complemento:
  • + Fibras – farelo de trigo,grãos integrais e frutas.
  • + Ácidos Graxos – castanhas, oleaginosas e óleos (girassol).

SEXTO PASSO:

O cardápio diário:
Manhã:
  • Iogurtes naturais com frutas, mel, melado.
  • Granola com o leite aquecido.
  • Farinhas integrais com frutas (aveia, cereais)
  • Pão integral 
  • Queijo branco
  • Muitas frutas doces (Ph neutro)

Meio dia:
  • Arroz integral 
  • Lentilha, ervilha, feijão recente/te cozido.
  • G. de Soja, G. de bico, Quínua.
  • 2 a 3 legumes crús
  • 1 a 2 verduras
  • Doces naturais: banana com mel e crispies; ameixas pretas; uvas passas, pêssego sem a calda, frutas cristalizadas etc.

A noite:
  • Comer pouco
  • Torrada com fina camada de patês.
  • Patês: berinjela, soja, cenoura.
  • Pipoca com pouco sal.
  • Sopas leves (inverno)
  • Frutas cítricas (Ph ácido)

Lanches:
O ideal é ter duas refeições e um lanche a noite, mas se você tem atividade física no trabalho deve comer entre o almoço e a noite.
+ Lanches com frutas, sandes naturais, sumos, frutas cítricas.

SÉTIMO PASSO:

Usar os alimentos na forma mais natural possível:
  • Legumes crús
  • Verduras frescas
  • Frutas frescas 
  • evitar as frituras
  • ser moderado no sal
  • usar pouco óleo
Um ou dois tipos de alimentos cozidos, o restante de alimentos crús. 


Não esquecer que há suplementos alimentares que podem ser uma boa opção em alguns casos para ajudar na transição.

Por fim, é importante não perder o objetivo de vista, não desistir e lembrar sempre o porquê de estar a fazer esta escolha e mudar o estilo de vida, não só o nosso mas o de muitos animais e mudar o mundo.

Espero que esta publicação vos tenha sido útil e força na vossa caminhada!

Fontes: aqui e aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela tua dúvida, sugestão ou opinião.
Inicia sessão e carrega no botão "NOTIFICAR-ME" para receberes no e-mail futuros comentários incluindo a minha resposta.

A qualquer momento, podes deixar se seguir se assim o entenderes ;)