O que fazer ao colchão velho?


Mais uma vez um excelente artigo da Deco Proteste:

"Se o colchão estiver em estado razoável, prefira doá-lo a uma instituição de apoio social interessada. Confira a listagem de instituições no site da Segurança Social.
Caso não apresente condições para ser usado, na compra do novo pergunte ao distribuidor se recolhem o usado. Se não for o caso, resta-lhe contactar o serviço municipal de recolha de monos domésticos. O mais provável é o colchão acabar num aterro sanitário. Também pode ser encaminhado para incineração, com recuperação da energia libertada pela queima da fração têxtil e das espumas. Na melhor das hipóteses, é entregue a um sistema de tratamento de resíduos com capacidade para desmantelar o colchão, separando a estrutura metálica dos têxteis e das espumas. Estes materiais são depois entregues aos seus recicladores.

A França avançou já com um bom exemplo do que deve ser feito nesta área: desde o início de 2011, a legislação obriga os fabricantes e os distribuidores de colchões a assumirem a responsabilidade na recolha de usados. Ou seja, os lojistas aceitam o colchão usado aquando da venda do novo, como sucede na generalidade dos países europeus para os frigoríficos, as máquinas de lavar, as televisões, os telemóveis e as lâmpadas, entre outros equipamentos elétricos e eletrónicos. Esta recolha não implica encargos adicionais para o consumidor.

Em Portugal, alguns estabelecimentos já recolhem colchões a título voluntário, doando-os a pessoas que precisam. Mas não há sistema de recolha obrigatório para tratamento adequado. Fica a proposta à Ministra do Ambiente: seguir o bom exemplo imposto pela legislação francesa."

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela tua dúvida, sugestão ou opinião.

Se queres acompanhar futuros comentários incluindo a minha resposta, carrega no botão "NOTIFICAR-ME"