Resenha Série A Noite do Dia - Volume I e II

Há uns meses atrás, recebi da Chiado Editora o Volume II "Luar Negro" desta série escrita por Ana Soraia Pereira Campos. Não o pude ler porque não tinha o primeiro volume comigo, "Lágrima de Sangue". Aguardei até o ter finalmente. 


Li estes dois livros em aproximadamente uma semana porque comecei a ler e não descansei enquanto não acabei. Se o terceiro livro da série já tivesse sido publicado, já o tinha lido também!

Desde a primeira página que a história me prendeu: fala de um vampiro sedento de sangue, uma humana com poderes sobrenaturais, um anjo da guarda, com arcanjos, bruxas e cópias à mistura... como a própria diz "uma fusão de fantasia, magia e ilusão". 

Eu já sabia para o que vinha e sabia também que estes livros foram inspirados nas séries, filmes e livros da "moda". Isso nota-se claramente nos nomes dos personagens (Bella - Crepúsculo; Stefan e Katherine - The Vampire Diaries; Os Originais que são misturados com os Voluturi de Crepúsculo, The Vampire Diaries e The Originals entre outros) e em certos pormenores. Conseguimos reconhecer isso facilmente mas não penses por isso, que é uma história igualzinha e que não vale a pena ler. Estás enganado(a)!

Eu não te quero contar porque perde a piada mas deixo-te a sinopse dos dois nas fotografias.



Tenho de dizer que a escrita é bastante leve embora apresente alguns erros ortográficos (algo que já critiquei antes noutros livros - pelo que parece, a editora não faz uma revisão, pelo menos, como devia). Notei que também há algumas divergências entre capítulos na estrutura e na aparência. Por exemplo, alguns capítulos são divididos e outros não (ou a simples mudança do tipo de letra).

São vários os personagens que narram a sua história ao longo dos dois livros. No segundo, a irmã da personagem principal, narra mais e achei isso um aspeto positivo. Ainda assim, eu queria mais narrativas sem ser a própria Katherine. É interessante saber os pontos de vista dos outros (seria interessante ver o de Iam também).




Algo que foi bem construído foi que, enquanto leitora, eu também passava pelas dúvidas das personagens, nomeadamente da personagem principal Katherine que desconfiava de outros personagens. Isso intrigava-me e fazia-me querer saber mais. Uma dessas intrigas sobre a verdadeira natureza do anjo da guarda, Ian, ainda não foi revelada e acredito que o seja no terceiro livro.


Até agora notei algumas falhas de alguns personagens que são referidos e depois desaparecem, como é o caso de William. E outras que parece que são "forçadas" ou pelo menos, ainda não sei o papel delas aqui.

Há também algumas pequenas incongruências mas é natural. No entanto, tenho de dar os parabéns à escritora pelo maravilhoso enredo. Se não fosse bom, eu não tinha gostado tanto de ler! Não é um clássico, não é só mais uma história de vampiros...

Estou mesmo ansiosa para o Volume III que se vai chamar "Alma Imortal". Para quando?

P.S.: o design da capa está lindíssimo

Livia - o interruptor da dor menstrual

Eu disse: NÃO MAIS! Eu nego-me a continuar com dores menstruais! Por isso, escolho Livia!

E assim foi.. Recebi o meu Livia em casa e decidi gravar uma open box para saberes o que traz o Kit.


Livia é o interruptor das dores menstruais porque é baseado na teoria do portão. O Livia é um estimulador elétrico nervoso transcutâneo (TENS) que transmite um impulso (elétrico) que deixa os nervos "ocupados", ou seja, o "portão dos nervos" está fechado e portanto, o sinal da dor não passa e não sentes dores.

Obviamente que a quantidade e intensidade deste impulso não é prejudicial à saúde e não há efeitos secundários desde que seja bem usado. O aparelho em si tem várias intensidades que podemos controlar através dos botões + e  - conforme a dor e necessidade que estamos a sentir. Vemos a intensidade através do LED azul.

Como o Livia alivia as dores, não precisamos de comprimidos e por isso, é duplamente saudável. Em mulheres que sofrem de endometriose os resultados têm sido muito bons (testados em pessoas controlado em ambiente hospitalar) e mesmo nas dores "comuns".

Tem garantia de 2 anos, traz manual de instruções (em inglês com esclarecimento de muitas questões) e é recomendado a todas as pessoas (maiores de 16 anos) excepto as que têm pacemark ou implantes metálicos.

Basicamente o aparelho em si trás uma capa de silicone numa cor que é escolhida no momento da compra. Existem outras cores e padrões que podem ser comprados à parte na loja internacional online ou para Portugal Continental através da Sensing for you. O aparelho tem uma mola para se prender à roupa e levar para qualquer lado, sendo prático de usar no dia-a-dia. Ao aparelho ligam-se aos elétrodos (com as terminações em forma de flor branca) e na ponta dos mesmos colocam-se o gel (quando se compra, inicialmente já traz o gel; depois têm de se substituir mensalmente*). Esse gel cola-se na barriga ou costas, na zona das dores e com uma distância entre 10-15cm um do outro.

*Eles dizem para substituir os adesivos/gel quando eles não colarem mais na pele (até +- 15x) mas nas embalagens das recargas diz que é mensal... eu só vou substituir de facto, quando já não colarem. As recargas vendem-se para 6 meses ou 12 meses online (6 ou 12 pares).
Os adesivos gel trazem uma película de proteção que temos de remover para colar à pele e aos elétrodos flor. Imagina: tens dores, usas hoje durante a manhã. O resto do dia estás ok então durante a noite tiras os adesivos da pele. Para não apanhar pó nem sujidades ou ficar preso a algo, colocas de novo a película transparente. Tem cuidado para não a perderes...
Quando colas os adesivos à pele, tenta não ficar com bolhas de ar, eles permitem-te mexeres e efectuares todos os movimentos, acompanhando-te. Não precisas de retirar os adesivos entre "sessões", ou seja, podes usar dias seguidos mas recomenda-se alterares a posição dos adesivos depois de 24h no mesmo sitio para evitar irritação da pele.

Em intensidades mais baixas, o estimulo elétrico pode não ser perceptivo (não sentes) mas isso não significa que o Livia não está a trabalhar.
Quando ligamos o Livia, ele começa sempre com a intensidade mais baixa.

A marca diz-nos que as dores desaparecem entre 10 a 15min de estimulação. Cada sessão de estimulação pode durar 30min ou mais para ser efetivo.

Livia não é a pilhas mas sim a carregamentos, como um telemóvel. Tem cabo USB para carregar (podes ligar a um adaptador e à corrente ou diretamente ao computador). Quando está a carregar, as luzes LED sobem e descem. Quando está carregado, as luzes param e mantém-se em cima. Quando está com pouca bateria, as luzes são vermelhas.

Ele é leve (60g), compacto e tem um tamanho pequeno de bolso. Prende-se às calças ou roupa interior, sendo praticamente imperceptível (roupa justa é mais complicado). É muito cómodo, prático e permite realizar todas as atividades do dia-a-dia.
No meu caso, eu sofro de dismenorreia mas é um mau diagnóstico. Já fiz vários exames e não sei o que tenho mas já fui parar ao hospital com dores menstruais. Assim que prevejo que me vou sentir mal, aplico o Livia (que já anda comigo uns dias antes do período chegar - dentro da caixa branca) e passado pouco tempo, estou bem! Não chego ao estado crítico de hospital... Graças a Deus!


Durante o dia, posso sentir aquele incomodo e dores mais pequenas por isso, nem tiro o Livia. Ando sempre com ele, ligando, desligando, subindo e descendo a intensidade...

Já tive de o usar uma noite seguida porque estava com imensas dores e a bateria durou o tempo todo. Fui aumentando e diminuindo conforme me sentia.
Para mim, as dores afetavam mesmo a minha vida ao ponto de ir para as urgências ou nem ir ao trabalho. Foi o mais perto de morrer que senti até hoje. Portanto, deves imaginar a diferença que Livia já fez na minha vida. Só o facto de saber que o tenho, deixa-me descansada, muito menos stressada e preocupada. Recomendo a todas as mulheres e a entrega devia ser feita de forma gratuita pelo nosso sistema nacional de saúde :P

*Em Portugal Continental, o Livia e devidos acessórios podem ser comprados através do site Sensing for you.

Resenha champô seco Batiste versão Cherry


Como sabes, a marca Batiste, nr 1 no Reino Unido, foi lançada à pouco tempo em Portugal e encontra-se à venda no Pingo Doce.





O conceito de champô seco é isso mesmo, um champô que não precisa de ser passado por água. É mais rápido e fácil de usar.

Eu sou curiosa no que toca a novos conceitos e produtos. O primeiro champô seco de que ouvi falar foi da Batiste mas como ainda não existia no mercado português, experimentei de outras marcas primeiro.

Até Batiste chegar, dispensava este produto. Ao usar, deixava-me o cabelo escuro, sujo, pastoso. Ele ficava aparentemente limpo durante 2h no máximo. Voltando depois à aparência ainda mais suja.

Com Batiste consigo um cabelo limpo o dia todo. Aplico o champô em spray, de manhã, nas zonas de maior oleosidade, levantando o cabelo, atrás e na nuca (para ganhar volume), junto ao couro cabeludo, massajo (esfrego como se estivesse a usar um champô normal) e escovo normalmente. Como tenho o cabelo claro, com a sujidade/oleosidade tende a ficar mais escuro. Com Batiste, disfarça a cor e a aparência oleosa perfumando o cabelo.
A fragrância desta versão não é das minhas preferidas. É bastante intensa e quando aplico, propaga-se por toda a casa. 

Este produto é ótimo nos dias de correria matinal e nos dias em que queremos dar aquela pausa na lavagem. Eu por exemplo, não gosto de lavar os cabelos todos os dias (nem sou apologista) e assim consigo espaçar os dias em que preciso de enxaguar. Não preciso de dizer que é o meu novo melhor amigo, pois não?
Para a minha cor de cabelo, a versão mais adequada é a blonde (para cabelos loiros) que ainda não está disponível em Portugal, penso que será o próximo passo. Assim como outros champôs para outras necessidades do nosso cabelo. Por agora podemos encontrar a versão original, cherry, blush, floral e tropical no Pingo Doce por 3.99€ 200ml.

Mega Novo #70

Olá
Adoro estas publicações e sei que tu também.

Vou começar por um produto que compro imensas vezes para os meus cães mas que agora mudou a embalagem e por isso, venho-te alertar.

São ossinhos para cães de raças pequenas que se vendem no Pingo Doce. Eu uso como recompensa por bons comportamentos e para ensinar truques.

Encontrei lá também estes patés próprios para raças pequenas. Experimentámos desta vez este sabor, tem pedaços um pouco grandes mas moles, por isso comem-se bem e eles gostam.

Participei com os meus cães mais uma vez na Pet Box - Bloggers Project e nesta segunda troca fiquei muito satisfeita. A Ana Pereira do blog acertou em cheio nas escolhas que fez. Nós adoramos e em breve contamos-te mais. Por agora dizemos-te que recebemos paté Purina, ossinhos e tiras de bacon do PG, toalhitas de limpeza de olhos e ouvidos do Continente, escova para banho e dois brinquedos :D

Natural Throne - dispositivo facilitador de evacuação

Para muitos, hoje vou falar de assunto "tabú". A meu ver não há nada de mal. Afinal não defecamos todos? É algo natural e diria, primitivo. No entanto, com o evoluir da sociedade, deixámos a nossa postura de agachamento/cócoras para passar a usar sanitas. Essa evolução trouxe-nos problemas de saúde como prisão de ventre, hemorroidas, colite, apendicite, cancro do cólon, hérnias, entre outros.  Isso tudo porque quando estamos sentidos na sanita, o músculo responsável pela continência intestinal não relaxa totalmente, apertando parcialmente o canal intestinal e por isso, dificultando ou obstruindo a passagem das fezes.
















Pelo contrário, agachados ou na posição de cócoras, o músculo relaxa permitindo uma defecação sem esforço. Nesta posição o reto assume uma posição vertical permitindo também que a gravidade ajude na defecação. A posição das pernas (elevadas) cria um suporte aos intestinos, exercendo uma pressão natural neles. Por fim, nesta posição há uma contração abdominal que permite um menor esforço na defecação.

A pensar nos benefícios desta posição, O Natural Throne foi concebido. Tem o formato e medidas adequadas a posição correta para defecar num ângulo aproximado de 35º.

As suas dimensões foram estudadas para se adaptar a diferentes utilizadores (incluindo crianças) e tipologias de sanita. 

Eu tenho prisão de ventre, não consigo evacuar todos os dias. O meu ciclo não é certo. Por vezes, faço de dois em dois dias, ou três e às vezes chega a mais. É preocupante sim, e desconfortável. Basicamente é o meu intestino que manda(va) em mim. Se tenho cólicas, já sei que tenho de ir quase de imediato ao WC para fazer porque se eu aguentar, mais tarde não conseguirei fazer (pelo menos com facilidade).

O Natural Throne veio facilitar a minha vida nesse sentido. Não penses que é só sentar-me e colocar os pés em cima dele (não te preocupes se não sabes onde os colocar, o banco têm uns pés discretos desenhados para que saibas)...nem que obro todos os dias. Mas quando tenho alguma vontade, sento-me algum tempo e consigo fazer o que tenho a fazer sem perder tanto tempo e sem fazer a força abismal que fazia. Não faz bem, obviamente...
Sei que agora posso "controlar" as pequenas cólicas quando estou em situações que não posso de algum modo ir ao WC e que quando estiver em casa, sento-me na sanita, coloco os pés no Natural Throne, relaxo e em alguns minutos, sem fazer esforços, evacuo.

No período menstrual é muito comum as mulheres sofrerem de cólicas. Eu sofro e noto que o Natural Throne me ajuda nesse sentido e também diminui as minhas dores. É igualmente muito recomendado para a fase de gestação, visto que os problemas de hemorroidas na gravidez são muito frequentes.


O Natural Throne encosta-se à base da sanita quando não precisas de usar, não ocupa espaço, não estorva e está pronto a ser usado em qualquer momento. As suas pernas têm tiras antideslizantes para que o seu uso seja seguro, assim como todas as arestas arredondadas.

Se quiseres mais explicações poderás sempre ver dois vídeos explicativos do Natural Throne e assim perceber como funciona esta solução natural para a prisão de ventre e hemorroidas.